Resumo

Com o tempo, adquiri conhecimento específico em áreas correlatas a design, comunicação, educação a distância e tecnologia da informação, tendo conquistado experiências em planejamento e desenvolvimento de projetos nas áreas de design gráfico, comunicação, pré-impressão e tecnologia da informação.

Percurso

Comecei meu trajeto profissional quando me preparava para finalizar o curso técnico de mecânica, e ao procurar por um estágio, fui contratado como tradutor técnico por uma empresa de aviação. Engenharia não estava no meu futuro, ingressei na faculdade de letras da UFRJ e esperava que um dia viesse a ser um tradutor juramentado. 
Durante esse período eu trabalhei como professor de inglês, coordenador de ensino e até como diretor geral de cursos de idiomas, o caminho foi me levando para outras áreas e meu desejo passou a ser trabalhar com ensino. 
Ao deixar o país e tentar entrar em um curso de linguística, me deparei com o aprendizado das línguas sintéticas, ou de programação. Tinha certeza que meu futuro passaria pela tecnologia de informação, por isso comecei a aprender a programar em COBOL, Pascal, C e a chance de ser bolsista no curso de sistemas de informação em uma universidade de renome foi abraçada com entusiasmo.
Já cursando, trabalhei como digitador e logo depois fiquei por seis anos como analista em uma empresa de informática, começando como estagiário e chegando a analista pleno.
Ainda durante os últimos anos como analista, surgiu o interesse por computação gráfica, e alguns cursos específicos em faculdades diferentes passaram a fazer parte da minha jornada diária. Naquela época, conseguir comprar um computador com capacidade de trabalhar com imagens era difícil, mas assim que pude, passei a fazer freelas de design junto a um grupo de freelancers, atendendo demandas pequenas que cabiam nas poucas horas disponíveis.
Já de volta ao Brasil, fui agraciado com ofertas de trabalho em agências de publicidade, consultoria junto a um jornal que dispunha de computadores ótimos e falta de conhecimento sobre o uso deles na produção e ainda outras oportunidades que pensei que pudessem ser o meu caminho.
Entretanto, foi saindo da agência e abrindo um estúdio de design que meu caminho se forjou de forma mais concreta. Junto com um parceiro e com um pequeno estúdio consegui chegar a trabalhar com grandes clientes e parcerias com grandes fornecedores.
Ao mesmo tempo, a demanda por conhecimento na área de criação para a utilização de plataformas gráficas era grande e logo em seguida passei a dar assessoria e treinamento em plataforma gráfica para agências e jornais da região.
O estúdio cresceu, deixei a sociedade, mas ao tentar abrir um segundo estúdio,  recebi uma proposta de um fornecedor em São Paulo para me mudar pra lá e fazer a consultoria de um projeto por alguns anos. O que era para ser no máximo dois anos, perdurou por sete, já que o projeto inicial finalizou e vários outros me foram aparecendo e me fazendo continuar por lá.
Nessa época meu foco era adquirir o máximo de conhecimento sobre pré-impressão digital e me oferecer como um consultor da área a empresas que careciam desse conhecimento.
Porém, apesar do trajeto ótimo que aquela cidade me ofereceu, resolvi que precisava parar e repensar se continuaria lá, se voltaria para a cidade que havia decidido que moraria, enfim, foi o momento de revisão.
De volta a Florianópolis, o ciclo parecia que seguiria por um caminho já conhecido, pois voltei a trabalhar em agência de publicidade, me preparei para atender demandas de tecnologia e treinamento para clientes da agência e tudo parecia que seguiria inalterado.
Contudo, minha vontade de fazer algo novo foi ao encontro da necessidade de uma amiga e ela me convidou para ajudá-la a modernizar sua empresa. Aceitei ir montar a infraestrutura de TI e desenvolver o atendimento automatizado via web para essa empresa de contabilidade.
Dois anos depois, ainda com vontade de conhecer mais sobre educação a distância, e com muita disposição de abraçar um novo rumo, comecei a trabalhar com design instrucional e plataformas de EaD. Após unir o conhecimento de design gráfico com o design instrucional, passei a trabalhar como assessor de mídias e dar apoio estratégico no desenvolvimento de materiais usados na educação a distância.
Hoje, continuo atento para o desenvolvimento de novas tecnologias, plataformas, mídias e me atualizando sempre que é possível.

 
template©tnb - bgphoto©Julie Schuch